Na garganta do Oceano

dentro da garganta do oceano
me embalo
naquele refluxo asqueroso
do recaldo da própria ignorância
é o vício do desejo
só ele
ele me afunda cada vez mais

monstros com luzes próprias
já têm minha cabeça
dentro de suas mandíbulas
de dentes serrados
e não posso fazer nada
além de cerrar os olhos
e fingir desesperadamente
que nada aconteceu

é o vício recalcitrante
do desejo
é querer ser maior que a garganta
e ser por ela engolido
sem a menor cerimônia

agora que aqui estou
o ato é único
entrega total ao suco gástrico
do oceano
aos dentes de monstros
até mesmo dos não iluminados
não há salvação, nem própria
é o fim em autototaldesesprezo