Símbolo-segredo

A Wellingnton Furtado Ramos

simbolo consiste no exercício de poder que permite à pessoa que detém um determinado segredo quebrar um objeto qualquer em duas metades, guardar uma das partes e confiar a outra a alguém que deverá guardá-la para atestar a sua autenticidade. (Eneira Maria de Souza)



Quero te entregar metade do meu símbolo. Quero te mostrar e testar ao mesmo tempo a validade do meu segredo. Porém, o meu segredo muitas vezes está mais que partido pela metade, está reduzido ao pó-estelar de muitos desejos, mas continua segredo-símbolo. Um segredo só pode ser compartilhado entre duas pessoas? Porque não com todas? Mas meu símbolo é tão secreto que às vezes até aqueles que possuem seus estilhaços nem saibam o que portam, recalcam a ignorância, o esquecimento, ou a audácia de simplesmente querer não saber do que se trata. Quer dividir meu símbolo? Quer compartilhar o meu segredo? É só pedir, é só ler, é só ver, eu sou símbolo sonante sinal, leia-me, olhe-me, mas faça-o com um prazer inenarrável. Ter os meus símbolos não é um ato passivo de pura lealdade fraternal, é um ato litigioso, quase religioso de portar uma parte de mim mesmo, já escrevi meu testamento é só ir lá e ver/ler/rir/lembrar/mentir, tudo fica para todos e nada fica com ninguém. Já revelei meu nome, minha idade, meus desejos, o segredo é símbolo, é mais profundo, é mais idílico, é mais sensível, é delicado. A entrega da metade do símbolo está feita, é um sacroofício, onde minha carne é reposta no altar da autodestruição. Mais uma metade que se vai. Mais um desejo que se re-parte, fique preparado, estou pronto para testar a sua metade e ver se você realmente porta o meu segredo. Posso abrir seu peito a qualquer momento, posso, com minhas unhas, arrancar seu coração e com as minhas mãos pulsá-lo com o frescor doce do calor da palma cheia de pecados inocentes. Se for a metade verdadeira de mim, ganhará outro segredo, se não for, aprenderá que eu também sou a mentira e ganhará uma parte verdadeira de mim, só por misericórdia. Um dia haverá tantas partes de meu segredo, de meus símbolos, de minhas cicatrizes, de minhas dores, de mim, enfim, que já não serei mais reconhecido, serei simplesmente, serei segredo-símbolo.