Soneto do sono

Aos alunos da Escola Municipal Etalívio Pereira Martins

(É por essas e outras que eu gosto de dar aula... primeiro esse soneto, depois as maravilhosas apresentações sobre os poetas brasileiros.)

E eu que achava que soninho é soneto
Mas não é não, é dois quartetos e dois tercetos
Quero sonhá-lo em cada vão momento
O pequeno som desse soneto.

Se sento e leio fico sonolento
Se sono sonho a cada vão momento
Se o sonho acaba fico rabugento
Quero sonhar o sono soneto.

Que infância boa àquela do soneto
De longos sonhos sem ressentimentos
De amor de colo e de acalento.

Mas agora sigo junto ao vento
De braços dados leio um cumprimento
Nesse sonho nos meus aposentos.

da aluna Thaynara. (Que orgulho!)