Falcão de luzes

As cores tantas
tão poucos sonhos
no preto e no branco
matizes inconstantes
por vezes inconscientes
a ansiedade nos faz vento
e não luz perceptível
a necessidade irrisória
mortal total
importante desimportante
e fulminante

E quando fecho os olhos
não há mais cores
só o vazio
aquele mesmo irrisório
mortal total
importante e fulminante

Virtudes a parte
as luzes e as cores
alimento de falcão