Testamento


Os meus dedos eu deixo para Paris
Os meus olhos para Veneza
A minha pele para os Africanos
A minha carne para Roma

Os meus sentidos para os párias
E minha loucura para a poesia
Meu desejo para os vulcões
E minhas palavras para o vento.

E meu coração deve ser queimado
e espalhado por Zéfiro.